Resenha de Filme

Carma de um Assassino (Accident Man - 2018)

Já imaginou sua amada ser assassinada por um conhecido seu?

25/07/2018 08h56
Por: Jonathan Domingos
Fonte: AzArtes
504
Reprodução: Imagem da Internet
Reprodução: Imagem da Internet

No filme “O carma de um assassino” você verá como tudo isso pode ser possível e muito mais, um filme baseado nos quadrinhos que veio diretamente para as telonas do cinema e para sua casa em BluRay.

O Filme:

Mike Fallon, o Accident Man, é um assassino muito frio, e é o melhor no que faz. Mas quando uma pessoa de quem gostava é arrastada para o submundo de Londres e assassinada por seus comparsas, Fallon é forçado a largar a vida que conhecia para vingar a única pessoa que realmente significava algo para ele.

Sobre o filme:

Em Accident Man, filme adaptado dos quadrinhos dos britânicos Pat Mills, Scottvive Mike Fallon, um assassino profissional requisitado e conhecido por fazer seus trabalhos parecem apenas infelizes acidentes, faz parte de uma espécie de “sindicato” de assassinos, que recebe e delega os trabalhos de acordo com as especialidades de cada um.

Certo dia Fallon recebe um telefonema dizendo que sua ex-namorada, uma ativista ambiental que o havia deixado por outra mulher meses antes, foi morta em um assalto.

Desconfiado, Fallon inicia uma investigação que colocará em risco sua profissão e sua vida.

Scott Adkins e Jesse V. Johnson, astro e diretor de Accident Man, respectivamente, dão aqui o chamado passo maior do que a perna, o famoso morder mais do que pode mastigar, ou qualquer outra variação desse ditado.

As situações e informações fornecidas no início do filme vem tão redondinhas, tão ajeitadinhas, que fica bem evidente a forma que elas se encaixarão no desenrolar da trama.

Tentam entregar um filme um pouco mais ambicioso do que seus portfólios no submundo dos filmes de luta recomenda e acaba faltando substância para isso.

Não tem reviravolta ou subversão, as coisas acontecem exatamente como elas aparentam que vão acontecer. Mas ok, talvez não devamos exigir tanto de Adkins em sua primeira aventura como escritor.

A violência estilizada, o sotaque carregado e os humores britânico e politicamente incorreto estão aqui, mas numa versão meio “lesada”, principalmente no que diz respeito ao humor agressivo.

Accident Man tem um senso de estilo familiar, combinando-o com a trama do filme podemos analisar que é como se o Guy Ritchie tentasse dirigir a sua versão de John Wick, mas sofresse um derrame no processo.

Conclusão do filme:

Mas então o filme é ruim, é isso? Não exatamente, caro leitor. Por incrível que pareça, a experiência de assistir Accident Man é boa no contexto correto.

Se você é capaz de acessar aquele espirito de quando via O Grande Dragão Branco na tarde de sábado, da época em que você achava que “tijolo não revida” era um exemplo de diálogo bem escrito e que a cena do Van Damme lutando cego era a expressão máxima da sétima arte, digna de uma indicação ao Oscar, você vai curtir esse filme também.

Têm arquétipos de personagens fáceis de simpatizar, um protagonista canastrão bad ass, vários coadjuvantes canastrões e bad ass, cenas de ação limpas e bem executadas e o que importa no fim das contas, uma porradaria honesta, bem coreografada e divertida de se ver.

Não é o filme que transformará Scott Adkins no Jean Claude Van Damme dessa geração, mas com um pouco mais de dedicação e sorte ele pode se tornar pelo menos um novo Jason Statham.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.