Quinta, 15 de novembro de 2018
(61) 9 8132-2082 | (61) 9 8192-1769 | (61) 9 9581-1957
Brasília

22/08/2018 ás 18h04 - atualizada em 22/08/2018 ás 18h34

119

Filipe Guedes

Brasília / DF

Cultura e diversidade entre os leitores tomam conta da Bienal do Livro
A leitura ajuda a combater preconceitos e desenvolver mais empatia pelas pessoas, uma visão de mundo mais aberta
Cultura e diversidade entre os leitores tomam conta da Bienal do Livro
Caroline Gonçalves
A 4ª Bienal Brasileira do Livro e da Literatura (BBLL), teve início no último sábado (18), no Centro de Convenções Ulysses Guimarães, em Brasília. O evento acontece até o dia 26 de agosto, repleta de atrações sobre o mundo literário para amantes de uma boa obra e, eles podem sair de lá com um pouco de magia ao escolher uma história mágica e levá-la casa.

A leitura ajuda a combater preconceitos e desenvolver mais empatia pelas pessoas, uma visão de mundo mais aberta. De acordo com o jornal Estadão, um dado de 2016 aponta que 44% da população brasileira não lê e 30% nunca comprou um livro. Os leitores representam 56% da sociedade do país, mas ainda é uma quantidade baixa, por conta da questão de políticas educacionais. Professores são os que mais incentivam a leitura.

As pessoas que visitam a bienal, encontram livros e acessórios ligados à sua história favorita. São diversos tipos preços diferentes, grandes variedades de produtos e pessoas que também procuram contos. A Bienal oferece mais do que promoções literárias, mas um grande espaço de magia, onde se pode encontrar a Terra Média, Nárnia, Oz, Wonderland, Hogwarts e Westeros em um único lugar.

Cada pequeno espaço é ocupado por um stand por estantes lotadas de livros, HQs e itens colecionáveis. A realidade e a ficção não estão tão distantes assim, pessoas de diversas partes do país acompanharam de perto a Bienal do Livro, algumas apresentaram projetos, outras para adquirí-los.

Ver leitores na bienal é como ver crianças em um parque de diversões. Aliás, o público infantil estava representado e, vão além das diversas histórias direcionadas a ele. Livros não são tão fictícios assim. As pessoas estavam encorporadas como uma só, pessoas negras, brancas, magras, gordas, drags, bruxas e alienígenas (fantasiadas? talvez), estas desfrutam de um mesmo interesse em comum, a leitura. Representatividade.

FONTE: Azartes

O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos o direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas. A qualquer tempo, poderemos cancelar o sistema de comentários sem necessidade de nenhum aviso prévio aos usuários e/ou a terceiros.
Comentários
Veja também
Filipe Guedes

Filipe Guedes

Blog/coluna Um viajante literário. Um leitor incurável.
Mais lidas
© Copyright 2018 :: Todos os direitos reservados
Site desenvolvido pela Lenium