Segunda, 08 de Março de 2021
(61) 9 8132-2082
Notícias Poesia

A poesia como uma forma de escape e expressão

Entrevista com Sarah Benedita

28/01/2021 17h34 Atualizada há 1 mês
195
Por: Yasmin Rajab
Imagens da Internet
Imagens da Internet

Sarah Benedita Sabino Gonçalves começou a escrever quando tinha apenas 11 anos de idade, utilizando um diário que ganhou de sua mãe. A partir daí, o amor pela poesia e o hábito da escrita cresceu, servindo como uma forma de escape para alguns problemas que passava na época. 

Jovem, mulher e negra, Benedita, como gosta de ser chamada, é moradora de Ceilândia (Brasília - DF) e usa os seus textos como forma de expressão para movimentos nos quais faz parte, como o feminismo e a luta contra o racismo. 

Além de mostrar seu posicionamento, ela usa a sua arte como um meio de expressar os seus sentimentos, já que possui dificuldade para falar sobre o que sente. 

Dos 12 aos 15 anos de idade, Benedita passou por um momento de forte depressão, e como não havia possibilidade de realizar tratamento psicológico, uma forma que ela encontrou de conseguir lidar com a situação foi através da escrita. 

A jovem usa o Instagram para mostrar um pouco de seu trabalho, além de publicar suas poesias em um blog que possui. No total, são cerca de 80 textos publicados.

Confira a entrevista completa com Benedita: 

- Você escreve por hobbie ou já escreveu profissionalmente?

Então, eu estou com um edital, que saiu um livro com 30 poesias minhas, se chama Devaneios. É um trampo né, mas pra mim é mais como hobbie. Foi uma fase muito difícil da minha vida e a poesia me ajudou muito, desde os meus 11 anos eu tenho um diário e eu faço poesia porque pela poesia eu consigo lidar bem com as minhas dores, eu consigo ser sincera com o que eu to sentindo. 

- Como você enxerga o seu trabalho em relação a militância e o racismo?

Eu me vi militante ali nos meus 15/16 anos, porque minha família, minha mãe, é de direita, então é todo mundo conservador e tudo mais. Então, eu segui a partir disso, o me ver não nesse mundo, de ver que todos os assuntos e tudo o que remete a mim seria de esquerda. Então eu vim nesse processo de estar estudando sobre, depois encaixar isso na minha poesia, depois encontrar pessoas que eu consiga falar sobre, que tenha o mesmo pensamento que eu. 

Então saber sobre os seus direitos, saber tudo o que você deve fazer para intervir, o que você pode ou não fazer é muito válido. Ainda mais pra gente, jovem, que tá entrando cada vez mais nesse mundo da política, de certa forma isso é muito importante, eu acho isso muito importante. 

- O que te motivou a começar a escrever?

Eu sempre fui uma pessoa muito calada, tudo o que acontecia comigo eu guardava muito pra mim, e uma forma de eliminar essas coisas seria escrevendo. Com 12 anos eu entrei em depressão e parei nesse estágio de depressão nos 15, 16 anos, por aí. Mas no meio desse estágio vinham sequelas físicas, então era uma forma de tentar liberar isso, como eu não tinha acesso a psicóloga e tudo mais. 

- Qual a importância da poesia na sua vida?

Eu digo que graças a poesia eu consegui sair da depressão, então foi de extrema importância pra mim. Quando é militância é o que eu quero que as pessoas escutem e leiam, e essa é a forma que eu tenho também de militar, fora as outras coisas que eu faço, então a poesia pra mim é muito importante, é através dela que eu consigo chegar a vários lugares sabe, e quando você tem uma palavra amiga para falar? É pela poesia.

- De onde você encontra motivação?

Da vida, a vida é muito louca, tipo, tem altos e baixos, tem várias estradas, tem vários pensamentos, então sempre que eu faço alguma coisa tem como ter pra mim uma inspiração. 

- Quais as suas maiores dificuldades?

Quando a gente vê a sociedade num todo sempre tem alguma coisa que nos desmotiva né, o dia a dia nem sempre é um mar de rosas, é até o nome de uma poesia minha, então a nossa vida não é um mar de rosas, quando a gente pensa na sociedade como um todo sempre tem miras em você, principalmente na área onde eu milito, o corpo preto, então a minha dificuldade quando eu faço poesia ou quando eu vou fazer um trampo é entender que mesmo eu estando ali fazendo um trampo, eu to também servindo algo de bom que eu tenho e mostrando para outras pessoas que assim como eu também podem ser feito. 

- Você tem alguma história marcante em relação ao trabalho ou à poesia?

Eu tenho várias histórias da vida… quando eu me vi produtora foi num momento que um amigo estava a frente de algumas questões e a gente foi vendo nisso uma oportunidade  de conhecer mais sobre produção e logística e de trabalhar com o Lázaro Ramos e a equipe que fazem parte da Caixa Mágica, que vem remetendo mais a crianças, mas eu tive a oportunidade de trabalhar com eles e isso foi muito gratificante porque o Lazaro Ramos é um ícone aqui do Brasil como pessoa preta, como uma pessoa que milita, tem uma mulher militante e feminista, e remete tudo isso que eles aprendem e que eles fazem para as pessoas pretas nunca deixarem de fazer o que eles gostam de fazer.

- Você tem alguma frase ou algum lema que leva pra vida?

A vida é única e curta, aproveitar muito cada momento e respirar e ir, respira e vai... se quebrou a cara, quebrou a cara, levanta sacode a poeira e tenta outra coisa, tenta de novo, porque só pensar em fazer não acontece, você tem que fazer, mesmo que o que você faça neste momento não seja o que você vai seguir para sempre ou que vai dar certo eternamente. Uma hora alguma coisa falha, mas é nesse momento que a gente tem que respirar e tentar de novo, então acho que é aproveitar cada momento da nossa vida. Respira e vai, essa é a frase, é o que eu falo para mim, pras minhas amigas. Então respira, pensa, analisa e vai.

Currículo do artista: 

 

Nome: Sarah Benedita Sabino Gonçalves

Idade: 19 anos

Quem sou eu: Poetisa e Autônoma

Como prefere ser chamado: Benedita

Redes Sociais: @beneditapoesia

Onde mora: Ceilândia - Distrito Federal

Nenhum comentário
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Yasmin Rajab
Sobre Yasmin Rajab
Jornalista, brasiliense, apaixonada pelo universo cinematográfico e musical. Procurando sempre aprender mais e mais. Metade de mim é amor, e a outra metade também.
Mais lidas
Anúncio
Ele1 - Criar site de notícias